Antes de embarcar para o Chile na temporada de ski li bastante sobre as estações para decidir onde ir. Como tive uma opinião diferente da maioria dos posts que li resolvi escrever meu relato sobre as duas estações de ski visitadas: Valle Nevado e Farellones.
Vale a pena começar dizendo que nunca tinha esquiado. Essa foi minha experiência numa estação de ski, portanto, meu relato servirá para o iniciantes nesse esporte que amei desde a primeira descida.
Valle Nevado

A primeira estação visitada foi o Valle Nevado. Estávamos hospedados na cidade de Santiago e as 7h a van do Viagem Chile (contato no final do post) nos buscou para iniciarmos nosso passeio. Logo no início da montanha paramos em uma loja para alugar calça térmica, óculos e equipamentos (se vc nunca esquiou sugiro que alugue e só depois compre sua própria roupa calça e casaco para as próximas aventuras) e depois seguimos viagem. Depois de um percurso inesquecível e suas 60 curvas chegamos a estação. A estação é extremamente organizada com locker, banheiros limpos e bem sinalizada. Compramos a aula em grupo (4 pessoas) para pegar todos os bizus do esporte e achei que valeu muito a pena o investimento.

Assim que terminou a aula, iniciou uma nevasca das brabas. Sangue e corpo quente (e a roupa adequada) me permitiram permanecer firme e forte mesmo com os ventos cortantes. Paramos para “almoçar” por volta das duas e depois não tive mais forças para voltar a esquiar.

Achei a estrutura do Valle Nevado é excelente!!!

Farellones
No dia seguinte fomos para a estação de Farellones. A estação tem outras atividades relacionadas a neve como patinação, ski bunda e tirolesa,… Como minha amiga pensou em fazer algo além do ski, resolvermos ir para Farellones. O carro da empresa Viagem Chile em frente a estação e seguiu viagem com os outros passageiros. Tiramos fotos e fomos até o quiosque decidir o que fazer. Como o preço da aula individual não é caro (se não me engano é mais barato que a aula coletiva no Valle Nevado) minha amiga que não havia ficado segura resolveu investir em mais uma aula de ski. Perguntamos sobre o locker, pagamos a aula, alugamos o equipamento e começou o nosso problema. Ao ir até o local informado, não encontramos o locker. Afinal, não há locker na entrada da estação. Depois de muita discussão a central de atendimentos da estação (obrigada Farellones) nos levou de teleférico até o locker no outro lado da estação. Nesse sufoco perdemos basicamente uma hora para descobrir e desvendar o mistério do locker.
A estação tem uma infra estrutura bem mais simples que o Valle Nevado e pouco organizada. Senti na verdade uma má fé e esperteza da vendedora da aula. Portanto, não indico que você compre sua aula logo na entrada da estação. Ao checar a estação, compre o passe do teleférico, desça e compre sua aula lá dentro da estação. Nesse lugar que ficamos não havia esteira para os iniciantes retornarem para o início da subida. Esse retorno é feito por cordas sendo difícil e muito mais cansativo para que está aprendendo.
Não se iluda com as outras atividades se você quiser aprender a esquiar. O esporte toma tempo e não sobrará muito tempo para brincar nas outras atrações. Mas quem definitivamente não quer esquiar, Farellones pode ser uma opção para você brincar na neve.
A única vantagem de Farellones em relação ao Valle Nevado é o preço da aula de ski e na alta temporada a presença de uma fotografa cadastrada que você pode contratar e fazer registros lindos do momento. Eu, uma apaixonada por fotos, até esqueci de todo perrengue da chegada. O valor do CD com todas as fotos em alta resolução custou em torno de R$70. Justo!


No meu ponto de vista Farellones vale a pena para fazer aula de esqui (pelo custo bem mais baixo que o Valle Nevado) e para ter uma fotógrafa para chamar de sua (a fotógrafa não é funcionária fixa da estação, portanto, não é certo que ela esteja lá todos os dias). Minha dica é ir para a parte interna da estação de teleférico ou deixar seus pertences dentro do carro para não passar o sufoco do locker.

Fizemos o passeio das estações, o transfer do aeroporto para o hotel e o city tour com a empresa de brasileiros Viagem Chile que nos buscou pontualmente todos os dias no hotel. Agendamos tudo por whatssup com o proprietário Glauco ainda no Brasil.

Os contatos dele estão no site www.transfersantiago.com.br