Quando o famoso bistrô de São Paulo chegou ao Rio foi um vuco vuco danado. Horas de espera… Esperei passar o burburinho (pq ficar horas esperando para comer não é minha praia) e fui conhecer o Paris 6 para indicar os pratos mais saudáveis do cardápio aos meus pacientes e aos queridos leitores. O cardápio do restaurante é bem variado com salada, omelete, quiche, massa, frango, peixe e carne vermelha. 
Vamos as minhas escolhas!
Comecei com uma boa salada de folhas e queijo cabra que amo de paixão! Folhas crocantes, como deve ser, e queijo de cabra ao forno com gergelim. A salada também acompanhava umas torradinhas que foram para o esposo rsss.
Os pratos homenageiam artistas e o meu ator / prato escolhido para almoçar foi o apresentador mais maromba da tv, o querido Marcos Mion. O prato é um tartare de salmão cru montado sobre couscous marroquino com coalhada seca. Como não curto salmão cru, troquei por tilápia. Na semana não estava consumido proteína do leite e pedi sem a coalhada seca. O prato fica sequinho, mas uma delícia! O couscous estava super soltinho e temperado. Muito bem feito!!!
De sobremesa, dividi com meu esposo um picolé de frutas vermelhas do meu ursinho amado. Ele é meio picolé, meio sorvete de tão cremoso. Amo! Prestem atenção na quantidade de carboidratos na hora de escolher o sabor do picolé. Quanto menos carbo, menos açúcar, melhor!
Já na segunda ida ao restô, dessa vez com as amigas para almoçar, pedi salada de folhas básica e o mesmo prato da primeira vez, mas com a coalhada seca.
Evito beber nas refeições para não atrapalhar a digestão, mas como ficamos conversando horas antes de pedir me deu sede. Pedi um suco de frutas vermelhas e bebo o mínimo possível durante a refeição. O restante eu bebi enquanto a galera da mesa se deliciava com o Grand gateau (marca registrada do paris 6). É um mix indecente com brownie, calda, doce de leite e picolé mergulhado. Nem provei para não atiçar as formigas que habitam dentro de mim rsss. 
Na minha opinião o diferencial do Paris 6 não é a comida ou combinação dos pratos, mas sim o funcionamento 24h. Ter um restô aberto a noite toda facilita a vida dos cariocas boêmios a sair da balada e ter um restaurante para terminar a farra comendo comida de verdade. 
Se eu fosse comer no Paris de madrugada escolheria uma salada com proteína como a do Felipe Solari com folhas, lâminas de salmão, alcachofra e molho da casa (pedir separado).
Acabaram suas desculpas de se jogar na combinação explosiva de carboidratos e gorduras ruins do M amarelo por falta de opção na madrugada do Rio de Janeiro.
Paris 6
Avenida Érico Veríssimo, 725
Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ