Ir à Florença e não visitar Pisa é um quase um pecado. Sim, faz parte do roteiro super turístico, mas no final das contas não somos turistas?!? Confesso que sou um tipo de turista chata (eu diria exigente rss)… Odeio fila, desorganização e tumulto. Se o local tiver uma dessas características ele sai da minha lista de visitação. Prefiro gastar as 3h da tal fila descobrindo o território por minha conta.
Esse não é o caso da Torre de Pisa. Ela não é uma pegadinha ou um pega turista. É um monumento bacana de ser apreciado e super organizado. Afinal, quantos locais não deram certo e mesmo assim ficaram famosos?!? Sem falar que a cidade é uma graça e além de pisa há muitos outros locais para explorar em Pisa como passear em Lungarno, conhecer a piazza dei cavalieri e dei miracoli e o Palazo D’arte e cultura Blu. Pronto! Taí atividades para explorar a cidade de forma completa.
Ir de Florença a Pisa é super fácil usando os trens expressos. Comprei meu ticket na hora do embarque, dentro da estação de trem de Florença. Foi tempo de um cochilo rápido no conforto do trem e em 45 minutos chegamos!!!
Depois das milhões de foto (a torre rende fotos pra lá de engraçadas), hora de almoçar. Nas andanças pela cidade já tinha mirado um lugar super fofo chamado Osteria Rossini, na praça “piazza” Dante Alighieri, e como era perto decidi ouvir meus instintos.
O restaurante é super simples e pequeno. Havia mesas do lado de dentro, mas eu queria mesmo era sentar do lado de fora para curtir um solzinho, ver a movimentação da praça, as crianças brincando,… Adoro esse clima relax de cidades pequenas que misturam turistas e moradores.
Comecei pedindo uma salada com torta de aspargos (€ 9). Avisamos que iríamos compartilhar e o garçom já trouxe separado! Super simples, mas delicioso. Não lembro a última vez que comi uma tortinha tão gostosa como essa.
Como primeiro prato, compartilhamos um ravioli com recheio de ricota e brócolis  (€ 7,5) que estava divino. A divisão foi aquela, 2 raviolis para mim e 4 para ele. Mas, ok! O importante é viver hahaha. Brincadeiras a parte esse prato merece ser pedido porque estava maravilhoso. Uma ricota bem umidade e bem temperada com o espinafre processado nessa mistura. Nada a ver com a ricota esfarelenta do Brasil. Outra dica que vale a pena anotar é que o ravioli é uma das massas mais interessantes de pedir para quem não quer consumir muito carboidrato na refeição. Como é uma massa recheada, o recheio ocupará o lugar do que seria massa no prato. Em segundo lugar, a presença de proteína (vinda do queijo e depois do segundo prato) e das fibras (do espinafre) fazem a absorção do prato ser mais lenta. Assim você consegue aliar saúde, cultura e prazer.
Meu segundo prato, foi um filé fatiado com salada (€ 15) que assim como a da entrada veio com folhas super fresquinhas e tenras. Carne macia, bem temperada… Corretíssima! Parecia a comida da minha mãe de tão simples e tão gostosa.
Rodrigo foi de carne tradicional (controfiletto di manso) muito similar a nossa carne assada na panela com purê de batata (€ 18), segundo ele super cremoso. Experimentei a carne que visualmente parecia muito simples, mas estava com sabor incrível. Parecia nossa carne assada, mas suculenta e com tempero mais acentuado. Super saborosa!
Rodrigo ainda pediu café e eu só pedi para saber quem estava cozinhando. O garçom de disse que era a mãe dele. Acertei na mosca! Comida caprichada de mãe. Mandei um super beijo para ela e no final ela veio ver quem era a beijoqueira do Brasil. Dei um beijo nela e agradeci pela refeição incrível e por me sentir tão em casa. Muito gostoso encontrar lugares onde a simplicidade e o amor são os melhores temperos.
Não deixe de conhecer Pisa quando for a Florença. Vale super a pena!
Se quiser comer uma comida Toscana por um valor pequeno e sabor enorme, não deixe de almoçar ou jantar no Osteria Rossini. 
Site: www.osteriarossini.it
Osteria Rossini – Pisa – Florença / Toscana – Itália