Outra cidade da Toscana que “tem que ir” é Siena. Que encanto! Ir à Siena é se transportar para a época medieval. Entrar nessa cidade construída toda sob as colinas e cercada por muros é voltar no tempo. Não é à toa que a cidade é Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco.
Estávamos baseados em Florença. Fomos para Siena de ônibus super confortável. 1 hora de trajeto. Mas a estrada é tão linda que vale super a pena ir de carro para poder parar e fotografar o cenário com toda calma e perfeição que a região merece. Sou apaixonada por paisagens naturais, mas não é qualquer lugar que tira meu fôlego. Ops! Cadê meu ar?!? Os caminhos são lindos.

A foto abaixo não é minha, mas ilustra exatamente as estradas deslumbrantes da Toscana. É ou não a estrada mais bonita desse mundo? Já estou doida para voltar e fazer esse trajeto de bicicleta.

Meu único dia para ir à Siena foi domingo. No domingo grande parte das lojas e restaurantes fecham suas portas, mas há uma (grande) vantagem. A cidade fica mais vazia e isso deu um clima ainda mais medieval cidade. Para conhecer a cidade é preciso se perder nos becos! Durante a caminhada, sem trajeto definido, as ruas mais afastadas e becos estavam completamente vazios, sem nenhum figurante com roupas do presente para quebrar o clima medieval. Curti muito!
Lojas com delícias italianas com toda sorte de massas, trufas, azeites e lotadas de frutas frescas. Lindo! Comprei uma caixinha de framboesa deliciosa para comer no caminho de volta.

Posando…

Hora da fome se aproximando e a dúvida de onde comer…. É nesse momento que os olhos já começam a desviar atenção construções extremamente bem conservadas para os cardápios pelo caminho. FOi quando descemos uma ladeira e essa entrada me chamou bastante atenção… Vi um grupo que parecia bem local almoçando na varanda e nem olhei o cardápio. Saí entrando no Ristorante Grota Santa Caterina da Bagoga para recarregar a bateria.

Sentamos na última mesa não reservada. Era cedo, mas o restaurante já estava lotado e com aquele clima italiano fervendo. Nada de seriedade! Os clientes estavam super à vontade, sorriam, brindavam como se estivessem em casa. Já estava na Itália a alguns dias e nunca tinha visto um clima tão descontraído assim. Ainda não tinha vivido essa Itália festeira que todos relatam e comecei a entender esse tal despojamento naquele momento.
O cardápio era tão Toscano que fiquei meio perdida. Várias preparações típicas do local que precisei de muitas explicações rsss. Ao invés de escolher item por item, decidi pelo menu que trazia as preparações Toscanas mais pedidas do restaurante que estava comemorando seus 40 anos. Bem, 40 anos é uma data de respeito, não vai ter erro.
Estava tão relaxada que esqueci de tirar foto da entrada! A entrada foi um mix de sucessos da casa como mini lasanha, brusquetas e pastinhas. Tudo uma delícia!!!
Como estava friozinho, escolhi como primeiro prato uma sopa de lentilha tradicional da região. Eu adoro lentilha e curiosamente nunca tinha comida a danada em forma de sopa. Não sei se toda sopa de lentilha é boa, mas essa estava deliciosa!!! Ah, a cambuca não estava transbordando porque pedi para servirem todos os meus pratos com metade da quantidade. Gente, esses lugares vem muita comida e para experimentar tudo não como nem a metade da refeição. Além de me ajudar a comer bem menos, também evita desperdiçar mais comida.

Enquanto eu fui de sopa, Rodrigo preferiu pasta. Pediu uma massa com ragu maravilhoso. Sabe esses ragu cozidos lentamente no fogo por umas 3h. Então, estava assim. Um tempero mais forte que a nossa carne dá uma diferenciada e um up no macarrão! Ele também pediu para servir metade da massa (disciplinado esse meu marido hein) e veio essa quantidade da foto. Eita Itália de porções generosas! Para não falar gigantes rsss.

O segundo prato, pedimos os dois a mesma opção, foi um mix de carnes. Veio feio, mas com sabor incrível de bom!!! Nesse momento o chef, seu Bagoga, fez um tour pelo restaurante e chegou na nossa mesa. Quanta simpatia! Fiz questão de elogiar a vibe do lugar, a sopa e aquela carne que se desmanchava ali na minha frente. Não consigo lembrar de todos os temperos, mas uma das carnes chamava-se galo indiano, mas que na verdade é um peru feito com pimentas variadas e vinho tinto. Sabor inesquecível!

Quase terminando a refeição começamos a conversar com o casal de namorados sentados ao lado. Moradores super simpáticos de Lucca e San Giminiano. Pronto, italianos e brasileiros juntos. Vocês não tem ideia da bagunça que fizemos e como rimos naquela tarde. O papo durou mais de 2h rss. Ficamos amigos!
Ro, que não é muito de doce, quis comer um chamado La Fantasia di Bavarese con il Moscadello di Montalcino antes de ir embora. O papo estava tão divertido que esqueci de perguntar na hora a descrição do sabor. Passado um mês do almoço, o marido diz que não consegue mais descrever. Só sabe dizer que estava bom rsss. Não comi muito, mas bebi tanta água para hidratar as cordas vocais secas de tanto falar e rir que eu já estava super satisfeita (a.k.a. cheia) quando a sobremesa chegou. Tirei uma lasquinha dessa parte de cima e lembro que estava bem cremoso e com sabor de café.
Não anotei o valor dos pratos, mas custavam entre 8 e 10 euros cada. O restaurante é simples, mas o clima desse lugar não tem preço.
Quer fazer uma refeição Toscana com preparações e receitas originais?!?! Tenho certeza que esse é O lugar.

Site: www.ristorantebagoga.it

Ristorante Grotta Santa Caterina da Bagoga – Siena – Itália