A cozinha italiana é uma das melhores do mundo! Agrada facilmente a todos com seus aromas, texturas e sabores. Pesquisando dicas de onde comer na Toscana e em Firenze, encontrei um restaurante chamado La Cusina Del Garga que se destacou no meio de tantas dicas boas encontradas. Ainda no Brasil diz a reserva e pontualmente às 19:30h eu já estava na porta do restaurante para me jogar nessa experiência que já prometia ser boa demais.
Quando entrei no restaurante amei o cenário para lá de inspirador. Decoração rica em cores, obras de artes e algumas pinturas dos próprios clientes. Super cool!
Sentei e logo fui escolher minha saladinha. Tinha uma linda com rúcula, palmito, tomate, pinoli tostado, lascas de parmesão e abacate (€ 12). Essa mesmo! Lotada de fibras das folhas e palmito, somado as gorduras boas do abacate e do pinoli essa salada é uma explosão de saúde e o melhor, super saborosa. Sem falar no toque maravilhoso que o azeite da Toscana dá na salada.
Para compartilhar também pedimos uma salada de alcachofra com pistache e lascas de parmesão (€ 12). Simplesmente a MELHOR salada de alcachofra da vida!!! Não deixem de comer quando forem ao restaurante. É demais!!!!
As porções parecem pequenas nas fotos, pois como falamos que iríamos dividir as entradas, o chef montou 2 pratos meio a meio. Muita gentileza!!! Inclusive o serviço é outro ponto forte do Cusina del Garga. Atendimento acima do padrão!
Já que estamos na Itália bora de massa! Na verdade a massa foi pedido do Rodrigo. Ele fez uma bela escolha de um fettucine fresco, lascas de limão e laranja, hortelã, parmesão, cognac e um creme que não sei explicar, mas estava bem denso e saboroso (€ 12). O garçom perguntou se íamos dividir e pedi para me servir 1/4 da porção, deixando a maior quantidade para o esposo. Afinal, eu só ia experimentar! Quando o prato chegou o aroma tomou conta da mesa… Rodrigo foi logo queimando a largada e não deu tempo nem de tirar foto do prato dele, que estava bem mais servido, para vocês terem noção da quantidade servida. Masssss quando comecei a comer, entendi o desespero do companheiro e também pirei no sabor! Uma das melhores massas do planeta, diferente de tudo que já comi na vida. Quase furtei o prato dele!
Na Itália, ainda não tinha visto bacalhau (exceto como mousse) nos cardápios e fiquei muito curiosa para experimentar uma versão italiana de uma preparação que curto demais. Além de ser uma ótima variação do bom, saudável, gostoso e sempre presente peixe branco grelhado. Sem demorar na escolha, fui de bacalhau com grão de bico com um verdinho chamado “barba di frate” (€ 22). Fiquei um pouco assustada com a brancura do bacalhau assim que vi, mas foi só provar a maciez que o preconceito se foi. É um textura diferente da que estamos acostumados no Brasil, mas achei delicioso e com sal na medida (para mim o acerto mais difícil na preparação do bacalhau). O grão de bico é a leguminosa mais sensacional pelo seu sabor (amo) e quantidade de triptofano, um precursor para a formação de serotonina – o tal hormônio da felicidade. Nunca tinha pensado nessa combinação… Saiu do comum e arrasou!!!
O marido foi conservador e pediu um filé com cebolas caramelizadas (€ 24). Segundo ele, macio que só!
Sharon, ou melhor chef sharon, é a mãe do chef Alessandro Gargani é a responsável pela receita secretíssima do cheesecake. Dizem as boas línguas ser o melhor cheesecake de Florença e que um chef famoso roubou sua receita. Bafão que vamos abafar por aqui! O garçom tentou nos seduzir de todas as formas e durante a descrição de cada uma das delícias do cardápio ele citou que uma das diferenças do doce de Sharon é o fato de não ser colocado na geladeira! Ok ok eu me rendo ao cheesecake de frutas vermelhas (€ 6). Combinamos de dividir o doce e pedimos com a calda separada para eu manipular o quanto colocaria.
A fatia chegou à mesa numa cremosidade e leveza de textura que nunca vi igual. Valeu cada garfada! Inexplicável de tão bom! Sem dúvida, o melhor cheesecake da Itália está aqui na sua frente. Obrigada por existir dona Sharon! Beijos no seu coração.
Gostaria de deixar claro que esses doces são fora da minha rotina e não quero mentir para vocês que não comi durante minha viagem. Comi sim!!! No dia a dia me privo de doces e açúcares em geral. Faço uma alimentação super limpa com pouquíssimos industrializados e comida de verdade dentro da minha “dieta” (dieta = alimentação e não restrição). Mas quando viajo curto experimentar a gastronomia local e como com muito prazer, equilíbrio e sem neura quando vale a pena. Na volta da rotina de alimentação e exercício em bastam 10 ou 15 dias para  retirar o excesso (a.k.a gordurinhas) que cismam em grudar no meu corpo durante a viagem hahaha. 
Enfim, vá ao La Cusina del Garga se deliciar com a comida do Chef Alessandro que levou para sua cozinha (e da sua mãe) toda experiência adquirida nos seu anos trabalhando nos renomados restaurantes de Nova Iorque. A casa é uma galeria de arte e essa inspiração transborda nos sabores de cada prato.
Eu amei e tenho certeza vocês vão curtir também.
O La Cusina del Garga fica bem perto do Il Mercato Centrale e só abre para o jantar.

Site: www.garga.it

La Cusina del Garga – Florença – Itália